Quando o cliente contrata um provedor de Internet, ele busca por  velocidade e consistência. Nesse sentido, a fibra óptica é uma excelente opção para prover ambas as coisas, uma vez que tem um nível de interferência bem menor em relação aos cabos tradicionais de rede. A arquitetura FTTH pode ser usada para esse fim, tanto em residências, como em escritórios e estabelecimentos comerciais, por exemplo.

Ao longo deste artigo, você vai entender  sobre as características e as vantagens da arquitetura de rede FTTH. Para clientes corporativos, uma conexão à Internet com alta velocidade e disponibilidade significa mais eficiência nos processos, o que impacta diretamente  na produtividade. Logo, a tendência é que esse tipo de projeto seja cada vez mais adotado por empresas de todos os tamanhos.

Ficou interessado no tema e deseja aumentar os seus conhecimentos sobre rede FTTH? Continue a leitura do nosso artigo até o final!

O que é rede FTTH?

A sigla FTTH significa Fiber To The Home, se aplicando tanto a clientes residenciais como corporativos, por se tratar de uma arquitetura em que o cabo de fibra óptica sai da operadora e vai até o lugar onde está o cliente. A implantação ocorre geralmente no modo passivo, por causa da tecnologia PON, ou Passive Optical Network.

Em outras palavras, a abordagem passiva praticamente dispensa a necessidade de energia elétrica. No entanto, a PON utiliza dois elementos ativos, que são a OLT (Optical Line Terminal) que fica do lado da central de serviço e a ONT (Optical Network Terminal) que fica do lado do cliente.

Aqui, cabe destacar um importante detalhe: a tecnologia FTTH é relativamente recente. Ela surgiu como forma de substituir um tipo de ligação entre o provedor e usuário final que também é baseado em enlaces ópticos. Trata-se de um modelo no qual a fibra alcançava um armário distribuidor que ficava localizado nas imediações do local final de atendimento.

Assim, podemos dizer que o FTTH é uma extensão do modelo antigo. Enquanto antes a fibra óptica ia apenas até um local próximo ao usuário final, a nova forma de conexão vai até o consumidor de fato. Isso traz grande vantagem principalmente em relação à velocidade de navegação, pois no modo antigo, a conexão entre o armário e o cliente era feita por meio de mediadores, o que causava uma perda na qualidade do sinal transmitido.

Quais são as razões para adotar a tecnologia FTTH?

Talvez o maior desafio de um provedor de internet seja entregar um sinal de qualidade para seus clientes. Essa conexão deve prover estabilidade, disponibilidade e alta velocidade (de preferência). É isso que fará a diferença no mercado e, assim, um provedor pode ganhar a preferência de possíveis clientes.

Acontece que por meio das redes tradicionais (radiofrequência e par de fios de cobre) sempre foi muito difícil oferecer as características mencionadas acima. É ai que surge a tecnologia FTTH. Ela pode oferecer um sinal do modo que o cliente precisa porque usa um sinal óptico como meio de transporte, ou seja, a luz. Com isso, não há interferência eletromagnética como ocorre com um fio de cobre quando fica em proximidade a uma rede de energia elétrica.

Além disso, uma rede FTTH também não sofre com atenuações de sinal comumente vistas em rádio enlaces, que é a famosa conexão por meio de antenas. Como a ligação entre cliente e provedor é feita por meio de um cabo (óptico), as intempéries do tempo não podem atrapalhar a transmissão — como ocorre quando há chuvas e o sinal cai — em uma comunicação que ocorre por meio do ar via ondas eletromagnéticas.

A partir daí se desenvolve um novo cenário de uso de internet: as aplicações mais robustas podem ser disponibilizadas aos clientes. Pelos meios tradicionais, simplesmente não é possível fazer isso. No caso de clientes residenciais, podemos citar o acesso a filmes e jogos modernos de videogame. Já para empresas, aplicações corporativas de big data, por exemplo, somente são possíveis com conexões extremamente rápidas e que suportem uma grande transferência de dados.

Quais as principais vantagens de uma rede FTTH?

Já de início, podemos dizer que existem melhorias significativas na largura de banda, o que impacta a velocidade da conexão. Outras vantagens do uso da rede FTTH são:

  • investimento com alta demanda , uma vez que o seu projeto poderá  suportar novas conexões relacionadas com a Internet das Coisas, por exemplo;
  • serviços de comunicação, visto que a rede FTTH permite diversos fluxos de dados por meio de uma única conexão;
  • tecnologia mais avançada que os cabos de rede tradicionais, cujos dados são transportados em fios de cobre;
  • os aplicativos que serão desenvolvidos já estarão adaptados à rede FTTH;
  • facilidade em encontrar fornecedores que lidam com esse tipo de arquitetura.

Como funciona uma rede FTTH?

Partindo do fato de que em uma rede FTTH os dados transitam na forma de pulsos digitais, ele se torna bastante resistente à interferências, o que confere melhor qualidade de sinal. A central que fornece a Internet pode ser chamada de escritório central ou CO, sendo que ela é responsável por transformar sinais elétricos em pulsos digitais antes de transmitir os dados até o cliente.

Ao chegar na outra ponta, há o processo reverso, em que o sinal digital se torna elétrico novamente, por meio de um dispositivo chamado CPE ou Customer Premises Equipment.

Quais as diferenças entre a rede FTTH e FTTx?

O FTTx consiste em uma abordagem generalista, em que o “x” pode significar casa, empresa, ou qualquer outro lugar que seja definido no futuro. Já o FTTH é mais específico, lidando com usuários finais residenciais ou corporativos. Vale ainda salientar que o FTTx é usado em substituição aos cabos tradicionais em que os dados transitam em fios de cobre, sendo que o intuito disso é preservar a velocidade de conexão.

Nesse sentido, ganha especial destaque as redes FTTC em contraste com as redes FTTH. Na verdade, essas últimas são uma evolução daquelas primeiras. Esse novo modelo vem se disseminando com relativa velocidade e é o grande responsável por possibilitar que os usuários acessem conteúdos de streaming, vídeos em 4K e jogos com servidores localizados do outro lado do planeta. Vale a pena diferenciar os dois modelos de conexão.

FTTC

A tradução da sigla quer dizer Fiber to the Curb, ou seja, fibra até o poste. Nesse modelo de rede existe a conexão por fibra óptica, mas ela não vai até o ponto final do usuário. Em vez disso, a ligação se encerra em um aparelho conhecido como switch. Essas redes são conhecidas por terem menor custo de instalação e por permitirem o acesso de um número maior de usuários a partir de um mesmo centro distribuidor.

Essa distribuição é feita por cabos intermediadores que fazem a interligação entre o ponto final e o switch localizado no poste. Assim, a fibra não chega propriamente até o usuário. A conexão compartilha todo o anel óptico que existe do provedor ao poste. É exatamente isso que permite o barateamento da instalação da rede.

No entanto, existe o empecilho de limitar a conexão do cliente. Isso acontece porque o meio de transmissão muda. A simples troca de um cabo óptico para um outro tipo de cabo entre o poste e o usuário final faz com que a velocidade de conexão caia bastante. Vale ressaltar que esse método ainda fornece uma navegação mais rápida que os meios tradicionais, mas é menos veloz que uma rede inteiramente ligada por meio de fibra, como as redes FTTH.

FTTH

Já nesse modelo de conexão, não existe troca do meio de transmissão. Isso significa que a ligação entre o provedor e o ponto final é todo feito em fibra. É importante não fazer confusão pensando que a fibra é totalmente ligada ao cliente sem nenhum intervalo, como se fosse um longo cabo esticado em meio aos postes de uma cidade. Não é isso que acontece.

Conforme dissemos, existem equipamentos ao longo de uma rede FTTH. No entanto, eles são todos passivos, ou seja, não fazem uso de energia elétrica e não precisam ser alimentados. Podemos citar como exemplos as caixas de emendas e caixas de distribuição. Sendo assim, o cliente final tem uma conexão direta ao provedor por meio da fibra óptica, mas existem algumas derivações no meio do caminho. Isso é necessário para o provedor ramificar sua rede conforme especificação de projeto.

O que causa grande diferença e, portanto, a vantagem para essas redes é que, por mais que exista algum tipo de derivação, o meio pelo qual os dados trafegam não se altera. Como uma fibra óptica tem grande capacidade de transporte de dados, não há perdas durante esse processo. Assim, cada cliente fica ligado ao provedor por meio de uma fibra e as velocidades alcançadas são muitíssimo superiores aos outros tipos de redes. Até mesmo de outras configurações que utilizam fibra em algum trecho da comunicação.

Conclusão

Conforme você viu o que é FTTH, trata-se de uma rede que conecta a central de serviços a usuários residenciais e empresariais por meio de fibra óptica, sem interrupções. Essa é uma arquitetura que é responsável pelo fluxo de dados com alta velocidade e zero perdas ao longo do caminho. Para ter o melhor desempenho possível, é recomendado usar um software de monitoramento da rede, como o MK 3.0. Trata-se de uma solução ofertada ao mercado pela MK Solutions há mais de 13 anos.

Gostou do conteúdo? Então, aproveite e solicite uma apresentação e conheça nossas soluções. Nosso time de consultores está disponível para tirar todas as suas dúvidas sobre redes FTTH!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *