7 riscos que seu provedor de internet deve evitar

7 minutos para ler

À medida que os serviços de internet crescem em complexidade, os provedores de serviços de internet (ISPs) estão descobrindo que os métodos de gerenciamento que eram usados no passado para monitorar e diagnosticar a qualidade de seus serviços não são mais suficientes em relação ao esperado pelos clientes, cada vez mais exigentes.

Nesse contexto, é fundamental realizar uma boa gestão e criar uma política eficaz de mitigação de riscos para evitar problemas na entrega do serviço.

Neste artigo, definimos 7 riscos que seu provedor de internet deve evitar para crescer de forma ainda mais segura e sustentável . Acompanhe!

1. Não ter um cluster de autenticação

A autenticação é um requisito básico de segurança para qualquer ambiente de computação. Em termos simples, os usuários e serviços devem provar sua identidade (autenticação) antes de acessarem os recursos do sistema no grau autorizado. A autenticação e a autorização trabalham lado a lado para proteger os recursos do sistema.

Quando um provedor conta com somente um servidor de autenticação, corre alto risco de deixar seus clientes sem acesso à internet em caso de falha.

Ter um cluster de autenticação, entretanto, permite contar com o apoio de um ou mais servidores secundários, que assumem o trabalho do principal caso este fique fora do ar, garantindo que todos os assinantes do provedor continuem com acesso à internet.

2. Não contar com um backup de autenticação

Ter um backup de autenticação garante uma camada extra de segurança para as contas online dos seus clientes. Ele permite que os usuários continuem acessando recursos de rede caso o servidor se torne indisponível ou a autenticação do usuário não for bem-sucedida.

Além disso, é possível oferecer um código de verificação quando seu cliente precisar. Esses códigos também funcionam como um método de autenticação de backup se você ou seu cliente estiver em uma zona de sombra ou com conectividade fraca.

3. Não automatizar a realização de backups

Realizar backups com frequência,, é essencial para a segurança da sua operação, pois garante que várias atividades importantes sejam realizadas e problemas sejam resolvidos com muito mais facilidade, tais como:

  • recuperação de desastres: recuperar e reiniciar sistemas críticos, VMs, arquivos e bancos de dados;
  • horários de início e de conclusão para todos os backups regulares definidos: a programação deve incluir todas as atividades de backup de dados e incluir atividades de teste conforme necessário. Além disso, a ferramenta de backup e os recursos de rede usados podem ser especificados;
  • restauração de arquivos que foram excluídos acidentalmente: já aconteceu com todos nós em algum momento, por isso é importante ter uma rede de segurança no caso de arquivos de trabalho ou outros dados críticos serem apagados acidentalmente;
  • efeito das atividades de backup nas atividades de produção: uma programação de backup pode ajudar a manter os sistemas de produção operando com desempenho máximo, com backups ocorrendo fora das programações de produção;
  • satisfação dos requisitos de conformidade e auditoria: se a organização for obrigada a cumprir certos regulamentos e padrões relativos à proteção de dados e for periodicamente auditada para os controles gerais de TI, os cronogramas são fontes importantes de evidência nessas áreas;
  • conformidade com o tempo de recuperação e os objetivos do ponto de recuperação: essas métricas são essenciais para o gerenciamento de backup e recuperação de dados. Os cronogramas podem demonstrar que estão sendo atendidos.

Com a correria do dia a dia , contudo, é comum se esquecer de fazer os backups ou fazê-los de forma incompleta. Por esse motivo, contar com ferramentas paraa automatização dos backups em momentos programados, além de poupar tempo da sua equipe, é indispensável para garantir que sempre sejam efetuados corretamente.

4. Não disponibilizar um atendimento ao cliente 24/7 

 

Seus clientes podem não entrar em contato com o seu provedor a todo momento, mas ainda assim, é fundamental que sua equipe esteja disponível para oferecer um suporte técnico 24 horas por dia, 7 dias por semana, quando o assinante precisar.

Tempo indisponível é dinheiro perdido. Certifique-se de disponibilizar uma assistência ininterrupta por telefone ou chat — ao vivo ou automatizada — e garantir que os seus técnicos estão acessíveis.

5. Não limitar o acesso dos funcionários Impor limites de acesso de acordo com as prerrogativas e funções dos seus operadores também é fundamental para garantir a segurança dos dados e informações confidenciais dos seus clientes.

Os componentes do perfil de autorização determinam os recursos e objetos que os usuários podem acessar e monitorar e que você indique o que cada funcionário pode criar, visualizar ou editar dentro do seu provedor.

6. Não gerenciar ordens de serviço com eficiência

Seus clientes têm expectativas altas em relação à solução que você entrega? Então é primordial fornecer níveis de serviços cada vez mais robustos. Em outras palavras, é fundamental garantir que ele seja atendido com agilidade e que suas solicitações sejam resolvidas da melhor forma possível. Caso contrário, eles poderão migrar para o concorrente.

O gerenciamento eficiente das ordens de serviços é a base para garantir que suas entregas não gerem atrasos, desperdício de recursos, acúmulos e, consequentemente , a insatisfação do cliente.

Ao assegurar o fornecimento, o planejamento e o monitoramento da qualidade de serviço, o gerenciamento das ordens de serviço vão garantir que todos os processos do seu provedor ocorram da forma mais eficaz possível.

Ele estabelece a base para os processos de entrega de serviços, como disponibilidade, capacidade, continuidade, segurança e gerenciamento de operações de produção, bem como processos de suporte, gerenciamento de problemas, gerenciamento de configuração, gerenciamento de liberação e mudança, entre outros.

7. Não documentar e monitorar a rede de FTTH e equipamentos

Ter um bom relacionamento com o seu cliente é um diferencial, sem dúvidas. Mas, são os fatores técnicos são críticos na percepção do cliente de que seu provedor esteja oferecendo uma boa prestação de serviço.

A documentação da rede é um registro técnico do hardware, software, servidores, estrutura de diretório e perfis de usuário,. O que mais importa é que as informações sejam facilmente acessíveis e possam ser entendidas por todos que precisam consultá-las.

O uso de ferramentas que facilitam a documentação e monitoramento da sua rede de fibra óptica  e equipamentos permitem:

  • reduzir o tempo de pesquisas para corrigir problemas recorrentes;
  • você não perderá manter informações importantes quando um funcionário experiente deixar a empresa, garantindo a continuidade;
  • identificar e corrigir com rapidez falhas na infraestrutura que estejam prejudicando a conexão dos clientes;
  • treinar novos contratados com muito mais rapidez;

Em resumo, garantir um gerenciamento eficaz da sua empresa e, com isso, evitar os riscos de provedores de internet que trouxemos neste artigo é um passo crítico para assegurar a qualidade dos serviços entregues para o seu cliente.

Agora que você conhece bem os principais riscos que seu provedor de internet deve evitar, conte com um parceiro especializado para auxiliá-lo nesse assunto e oferecer as ferramentas adequadas. Entre em contato com a gente e saiba como podemos ajudá-lo!

Você também pode gostar

Deixe um comentário