No Brasil, cada vez mais estamos vendo diversas operações de fusão entre provedores de internet. As razões para isso são várias, e o ponto positivo é que evidencia a profissionalização do mercado de pequenos provedores. No entanto, nem tudo são mil maravilhas, pois é preciso ter a casa em ordem antes de pleitear uma vaga no rentável processo de fusões e aquisições.

Este artigo aborda o tema proposto de modo a esclarecer melhor o assunto para você. Ao lê-lo, você entenderá o que esse tipo de transação representa para o setor. Saberá também quais são os principais pontos de observação e cuidado para quem pretende se fundir com outra empresa. Por fim, receberá uma dica valiosa de parceria nesse processo. Pronto para esse conhecimento? Então siga em frente!

Qual é a importância das fusões entre provedores de internet para o setor de telecom?

Em um mercado farto e ao mesmo tempo bastante competitivo, as operações de M&A — Mergers and Acquisitions — se mostram uma opção interessante para atender a planos de expansão. Chamadas em português de operações de fusões e aquisições, as transações envolvem a união de duas ou mais empresas capitaneadas pela alocação de capital em alguma delas como contrapartida pela nova sociedade.

E por que esse tipo de fusão tem se mostrado tão presente no mercado de provedores de telecom ultimamente? As razões são várias e passam pela falta de atendimento satisfatório em diversas regiões do Brasil, assim como pelo melhor desempenho de algumas companhias do setor. E isso é muito importante, pois a cobertura do sinal de banda larga de internet ainda não alcança a maioria dos municípios brasileiros.

Vale destacar um ponto fundamental em todo esse cenário: a defasagem ocorrida pela atuação limitada dos gigantes da telecom.  Os provedores de pequeno porte passaram a atuar e prestar serviços onde as grandes operadoras não chegavam e, a partir disso, conseguiram juntos dominar parcela significativa do mercado. De acordo com uma pesquisa da Teleco lançada neste ano, os pequenos provedores são líderes em banda larga em 76% das cidades brasileiras.

No entanto, é necessário analisar com cuidado o novo momento apresentado. A situação está mudando, e nos bastidores já se comenta que uma nova ofensiva das grandes operadoras está prevista pela frente. Dessa forma, pretende realizar fusões entre provedores de internet, deve observar com mais cuidado o cenário antes de decidir pelo movimento. Um forte alerta que vem nesse sentido é a expansão das redes neutras. Pode ser que em um futuro muito próximo as teles antigas passem a operar nesse modelo.

Quais são os pontos que devem ser observados em processos de fusões entre provedores de internet?

Uma operação de fusão requer o alinhamento de vários pontos importantes, desde os administrativos até os operacionais. Veja a seguir uma análise detalhada a respeito dos principais aspectos.

Acordos de confidencialidade

Em um processo de fusão e aquisição, é fundamental que as informações do negócio sejam restritas aos membros participantes. Em um momento inicial, alguém pode ficar tentado a pensar que a necessidade de confidencialidade é tão óbvia que não seria necessário um documento formal. Ledo engano, pois imagine uma fusão entre 7, 8 ou 10 provedores. Sem um acordo, é difícil garantir a segurança contra vazamento dos dados.

Ou seja, um contrato prevendo o sigilo de todas as informações é essencial para o sucesso da operação. A depender do tamanho do negócio, pode ser que sejam necessários muitos dias (ou meses) para concluir o processo. E a empreitada pode vir por água abaixo se algum dado comprometedor ser divulgado sem o consentimento de todo o grupo.

A questão é tão sensível que existe um termo no mercado financeiro prevendo esse tipo de vazamento: chama-se informação privilegiada. Em negócios maiores, principalmente, o dado pode ser usado para manipular o mercado e obter lucro ilegal. Para negociações menores, a saída de uma informação estratégica pode colocar o negócio (e o trabalho) de meses a perder.

Condição atual do provedor

A ideia de se fundir com concorrentes de mercado pode parecer bastante atrativa. Quando somadas algumas carteiras de clientes, a projeção de faturamento pode fazer os olhos de qualquer pessoa brilhar. No entanto, existem fatores que precisam ser considerados no momento de verificar a viabilidade de uma operação desse tipo, e o primeiro ponto é a condição atual do seu provedor.

Por essa afirmação, entenda-se todas as variáveis que fazem com que uma empresa seja bem-vista sob a óptica gerencial: estamos falando da organização financeira, com seu equilíbrio do fluxo de caixa, adequações fiscais e tributárias, atendimento à legislação técnica do agente regulador do setor e até mesmo a conformidade quanto às regras trabalhistas.

Não é incomum que um provedor atue de forma desordenada e ilegal às vezes. Ao mesmo tempo, é esse mesmo tipo de provedor que por vezes considera fazer parte de um processo de fusão. A verdade é que sem uma padronização dos eventos importantes de uma empresa não há como realizar o processo. No entanto, a adequação a esses quesitos é capaz de elevar bastante o valuation de um provedor. Como o mercado de provedores está crescendo, os olhos do mercado financeiro estão em busca de empresas dentro do segmento. A inadequação financeira e fiscal são fatores que com frequência

Valuation

Esse é exatamente o terceiro ponto de alta significância de um processo de fusão. Ou seja, é preciso chegar a um número ideal que representa o valor de um provedor. E isso é mais que lógico, pois como negociar um bem sem saber o quanto ele vale? Não há como, e isso é parte natural do processo de negociação.

Sendo assim, deve-se fazer um levantamento detalhado sobre os aspectos administrativos e legais do provedor de internet antes de entrar no processo de fusão. Quanto mais organizada uma empresa está, mais ela valerá e mais profissional será a estrutura resultante. De nada vale partir para uma transação complexa sem fazer o dever de casa. Essa é uma fase inegociável de uma operação de união.

As fusões entre provedores de internet estão se tornando cada vez mais comuns no ambiente de negócios brasileiro. Já se tem notícia de processos de incorporação de pelo menos uma dezena de provedores ao mesmo tempo. É importante atentar para os aspectos administrativos e regulatórios do negócio antes de partir para a prática. E, para alcançar esse objetivo, nada melhor do que ser bem assessorado. Conte com a MK Solutions para prover a orientação necessária se estiver pensando em se fundir com outro provedor.

Gostou do conteúdo? Então entre em contato conosco e estabeleça uma parceria de confiança para guiar você em um processo de fusão!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *