4 erros na gestão de provedores de internet que você deve evitar

8 minutos para ler

Se você está à frente de um provedor e tem o objetivo de fazê-lo prosperar, a dica é clara: dedique-se a profissionalizar a administração do negócio e otimizar processos e recursos em todas as etapas do fluxo de trabalho. Na prática, ao evitar erros na gestão de provedores de internet, você otimiza suas operações e escala seus resultados — no curto, médio e longo prazo.

Neste post, você entenderá um pouco mais sobre o assunto. Primeiro, vamos abordar  a importância de manter a excelência nas rotinas gerenciais para, em seguida, detalhar quais são os principais erros cometidos em empresas provedoras de internet.

Mais do que identificar os erros mais comuns, você terminará a leitura com a certeza de possuir o conhecimento necessário para evitá-los . E o melhor são os retornos imediatos que se provam cada vez mais duradouros. Preparado? Boa leitura e bom aprendizado!

Por que a boa gestão é essencial ao sucesso de um provedor de internet?

De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, 25% das empresas fecham as portas por problemas relacionados à gestão. A falta de capital, geralmente associada a baixos retornos financeiros, são dois dos fatores que costumam levar um negócio a encerrar suas atividades.

O cenário não é muito diferente no contexto dos provedores de internet. Assim como na grande maioria dos segmentos, é preciso preservar a competitividade da companhia a partir da padronização de processos bem alinhados, enxutos e eficientes. O foco na gestão estratégica é, sem dúvida, o mecanismo que viabiliza resultados positivos e o que diferencia provedores de sucesso dos demais

Outro aspecto interessante é o avanço do mercado digital nos últimos anos. O setor cresceu rápido e, com isso, lançou às empresas do ramo o desafio de se moldar a uma nova metodologia de gestão, agora mais voltada à análise de dados para compreender a fundo as demandas do consumidor e identificar oportunidades de melhoria na operação.

Neste caso, a ausência de um plano tático, alinhado ao planejamento gerencial, tende a comprometer as entregas do serviço e a prejudicar as entradas do fluxo de caixa, impactando negativamente na saúde financeira da empresa. Tudo que você não deseja que afete a sua operação, né?

A boa notícia é que, tão logo sejam implementadas, as melhores práticas de gestão podem evitar uma série de transtornos a curto prazo. Durante a negociação comercial, por exemplo, é possível centralizar as informações do cliente e, com base nisso, oferecer a oferta mais adequada. É provável, inclusive, que você nunca mais perca uma venda por falta de um acompanhamento pós-venda  qualificado.

Bons processos gerenciais também tornam o pós-venda mais assertivo. Munidos de dados confiáveis sobre a experiência do cliente, os vendedores podem oferecer produtos (ou serviços) adicionais, melhorando o ticket médio da base já ativa. O termo para isso é Crosseling. A lucratividade agradece!

Quais são os principais erros na gestão de provedores de internet?

A rotina dos provedores é dinâmica e nem sempre é possível blindar totalmente a operação. Isso não significa, entretanto, que você deve agir com displicência e ignorar estratégias capazes de minimizar erros nocivos ao desenvolvimento integral do negócio.

Confira, agora, quais são os equívocos mais recorrentes nas empresas provedoras de internet e, claro, saiba como preveni-los!

1. Desconhecer o ciclo das operações

O cotidiano dos provedores é repleto de ciclos. Primeiramente, é preciso entender e medir o ciclo de vendas do provedor — ou seja, o tempo médio de cada negociação, desde o contato inicial até que o potencial cliente seja finalmente convertido.

O ciclo de vida do cliente também é uma métrica importantíssima. A partir dela, os líderes podem avaliar por quantos meses o cliente permanece com o contrato ativo. Se a média for baixa, planos de retenção podem ser implantados; se o resultado for positivo, um bom programa de fidelização, com oferta de serviços adicionais (televisão, licença de antivírus, acesso a streaming etc.), pode melhorar ainda mais o cenário e aumentar o ticket médio.

Outro ponto é o ciclo de retorno do investimento. À frente de um ISP, você poderá verificar a necessidade de modernizar equipamentos e expandir a rede de fibra óptica. Esses investimentos costumam ser altos, portanto é importante mensurá-los e acompanhar o tempo necessário para recuperar o dinheiro investido e começar a lucrar. Desse modo, é possível prever com mais precisão os retornos esperados de cada expansão da infraestrutura do provedor. 

Os ciclos fazem parte do seu dia a dia e devem ser monitorados bem de perto. Desconhecer o propósito que nutre cada um deles é o mesmo que navegar em alto-mar sem possuir uma direção definida: você será levado pelo vento e não terá nenhum controle sobre o destino da empreitada.

2. Não ter um registro eficiente  de processos

Informações descentralizadas são um perigo constante para provedores de internet. Pense em todas as vezes que um de seus clientes entrou em contato para solicitar suporte técnico. A primeira ação é pesquisar o contrato e entender o histórico de atendimento, certo?

A melhor maneira de viabilizar o serviço é acessar os dados de forma simples, rápida e transparente. Um sistema integrado de gestão, por exemplo, desponta como a ferramenta perfeita para acelerar as tratativas e garantir a satisfação do consumidor.

E não termina por aí, viu? Com o problema solucionado, o correto é atualizar os chamados e detalhar os procedimentos efetuados. Desse modo, caso o cliente volte a procurar ajuda, basta recorrer às anotações para entender todo o contexto.

Sempre que você deixa de registrar processos, corre o risco de gerar retrabalho desnecessário e esgotar ainda mais a paciência do cliente. Além disso, a falta de informações claras pode causar prejuízos em diversas etapas do trabalho, comprometendo os ganhos da companhia.

3. Não ter uma ferramenta para análise  de fluxo de caixa

O acompanhamento do fluxo de caixa é indispensável à saúde financeira de qualquer empresa — inclusive da sua ISP. Por este motivo, você precisa de uma ferramenta para garantir que todas as transações monetárias fiquem devidamente organizadas e armazenadas, permitindo assim o acesso rápido aos dados do negócio.

No fluxo de caixa, você encontra todas as contas corporativas: é fácil encontrar os recebíveis e ainda mais simples filtrar o que deve ser pago a cada período. Na última linha, o saldo indica se as contas vão fechar no azul, conferindo fôlego à operação, ou se será necessário ajustar as despesas para evitar uma sequência de meses no vermelho.

Um dos benefícios mais relevantes do relatório é, portanto, a previsibilidade. Quando todos os registros financeiros são automaticamente integrados ao fluxo de caixa, é possível construir cenários de médio e de longo prazo, testando investimentos ou simulando contenções em períodos mais difíceis.

Para os provedores de internet, essa autonomia é especialmente valiosa. Afinal, para fazer frente a um mercado cada vez mais competitivo, é preciso manter os olhos voltados aos indicadores financeiros e, assim, assegurar a qualidade das decisões estratégicas.

4. Deixar de investir em serviços complementares

De acordo com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), o Serviço de Valor Agregado (SVA) é definido como qualquer prestação que auxilie nas atividades de telecomunicações. Para ISPs, trata-se de uma oportunidade de diversificar o portfólio e de aumentar a renda média com cada cliente da base.

Os provedores de internet podem, por exemplo, fornecer contas de e-mail e oferecer armazenamento de dados em nuvem, dois recursos altamente solicitados por clientes corporativos. A estratégia é excelente para expandir as possibilidades comerciais, fidelizar o consumidor já captado e potencializar a rentabilidade dos serviços, além de possibilitar ganhos com benefícios tributários. Vale investir!

As dicas são preciosas e podem ajudar você — e seu ISP — a escalar negócios com segurança, previsibilidade e eficiência. Para tornar tudo isso possível, certifique-se de optar por um sistema  aderente aos processos do setor, experiente nos desafios da área e preparado  para ajudá-lo a evitar os erros na gestão de provedores de internet. Para isso, conte com a MK Solutions!

O conteúdo foi útil e ajudou você a repensar suas estratégias gerenciais? Ótimo! Muitas outras dicas estão esperando por você em nossos canais. Siga-nos no Facebook, no Instagram, no YouTube e no LinkedIn para ficar sempre por dentro das novidades! 

Você também pode gostar

Deixe um comentário